Como o trabalhador se vincula ao propósito?

Gestão e Liderança
Placa comemorativa Associação Comunitária Monte Azul 40 anos

Muito tem se falado a respeito de propósito e seu impacto na cultura organizacional. Com objetivo de gerar resultados sustentáveis e valor real aos clientes e sociedade, as organizações tem repensado estratégias que historicamente priorizavam somente o lucro.

O movimento Management 3.0 propõe um desenho organizacional menos hierárquico e mais autônomo, e o compartilhamento de propósito e valores como forma de alinhar as restrições, ou seja, dar o limite do que é aceitável em termos de comportamento e tomada de decisão.

Durante muito tempo, nutri a crença de que organizações não governamentais não precisariam investir esforço no desenvolvimento de uma cultura orientada pelo propósito, que todos os trabalhadores se vinculavam a causa naturalmente, mas isso não é uma verdade.

Como desenvolver uma cultura orientada pelo propósito?

A Associação Comunitária Monte Azul, com sede na zona sul de São Paulo e mais de 1.500 colaboradores direto e indiretos, tem como prática encontros mensais chamados de Integração em que todos os líderes e colaboradores diretos são convidados.

Existe uma consciência do Conselho de Desenvolvimento, grupo responsável por cuidar da identidade e propósito, de que os trabalhadores se vinculam a organização por razões diferentes:

1. Missão

São aqueles colaboradores que vinculam pela causa, e o trabalho que executam é só um meio para alcançar este propósito. Desta forma, a tarefa tem um papel secundário.

2. Missão x Trabalho

A missão é muito importante, a causa está clara, mas o trabalho executado e suas recompensas importam.

3. Trabalho x Missão

O trabalho executado e suas recompensas são mais importantes do que a causa. Ainda que exista o vínculo com a causa, o trabalho tem um papel fundamental.

4. Trabalho

O colaborador que se vincula a organização pelo trabalho e suas recompensas. Neste caso, o vínculo a missão não tem relevância na execução de seu papel.

Para a Associação Comunitária Monte Azul e seu grupo de gestores, não importa o que motivou o trabalhador a se vincular a organização, o desafio é o de estabelecer um vínculo com a causa ao longo do tempo. Por este motivo, os rituais relacionados a cultura são tão importantes.

É cada vez mais essencial abrir espaços para a reflexão sobre a nossa missão, os valores, não deixar que a correria impeça o encontro entre as pessoas – Renate K. Ignacio e Ute Cramer

Nas reuniões de integração uma pergunta recorrente é O que te liga a Associação Comunitária Monte Azul? Esta pergunta desperta a reflexão do grupo para seu papel e impacto no resultado e também sobre o valor que a associação gera para a sociedade.

E quando não há alinhamento entre o propósito organizacional e o do trabalhador?

Há uma consciência de que o propósito de cada indivíduo pode ou não se ligar ao propósito organizacional. Desta forma, em um ambiente em que as decisões são compartilhadas, assumem mais responsabilidade aqueles que demonstram um alinhamento maior com a missão.

Valéria Carrilho, uma das gestores da associação e responsável pela área de relações institucionais, enfatiza a importância de manter a energia e vida dos rituais. Com o tempo, os encontros podem se tornar mecânicos e perder o sentido. Por este motivo, os encontros de Integração são ressignificados ao longo do tempo.

Que rituais possibilitam que você se vincule ao propósito organizacional da empresa em que atua?

Quer conhecer a história da Associação Comunitária Monte Azul e suas práticas de gestão? Leia o livro Transformar é Possível. Você também pode agendar uma visita monitorada (quando o isolamento social acabar!).

Leia mais no Blog:

Liderança que transforma: O exemplo de Nelson Mandela

6 regras para Recompensas

5 atitudes de um Facilitador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

CAPTCHA


Últimas Atualizações:

Menu